«Se conseguirmos a 17.ª vitória ninguém vai para os Aliados festejar»

«Se conseguirmos a 17.ª vitória ninguém vai para os Aliados festejar»

Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, depois da vitória sobre o Belenenses (2-1), no Estádio Nacional, no último jogo da fase de grupos da Taça da Liga que resultou na qualificação do campeão para a Final Four.

[Análise ao jogo]

– Entrámos no jogo algo passivos. Tivemos vinte minutos fracos, não de acordo com a identidade da equipa. A partir daí, o Belenenses, motivado pelo golo, teve jovens motivados e a quererem mostrar-se. Deram-nos alguns problemas nas transições. A partir dos 35 minutos entraram o Hernâni e o Tiquinho e o jogo mudou. Na segunda parte tivemos sete ou oito situações de golo. Tivemos um Belenenses a espreitar as transições, mas fomos uns justos vencedores.

[Foi o quinto jogo em que o FC Porto entrou a perder e deu a volta]

– É importante a reação da equipa. Prefiro não sofrer golos, como é óbvio. Por isso é que disse que tivemos vinte minutos que não são habituais. O Belenenses marcou de bola parada, um golo que os motivou ainda mais. A partir daí tivemos várias ocasiões, demos a volta ao resultado e tivemos várias ocasiões para dilatar o marcador. O Belenenses foi um digno adversário.

[Os quatro primeiros classificados da Liga estão na Final Four. Há um grande desequilíbrio entre essas equipas e as restantes?]

– Não vou por aí. O grupo do Sporting acabou com três equipas com seis pontos. Não há essa diferença tão grande. O Vitória está a fazer um bom campeonato e penso que vai melhorar. O Rio Ave também tem estado bem, está afazer uma boa época. Este campeonato vai ser competitivo e vai ser difícil fazer os mesmos pontos que fizemos o ano passado. É cada vez mais difícil chegar às finais das Taças. No sábado também vimos um Benfica a empatar nas Aves.

[Recorde de 16 vitórias consecutivas. Sente que é cada vez mais uma figura neste FC Porto?]

– Figura enquanto estou a ganhar, se perder duas ou três vezes isso muda. Claro que estamos orgulhosos, num clube com 125 anos, temos o maior número de vitórias consecutivas. Ficamos orgulhosos, mas não passa disso. Fiquei contente hoje porque foi uma vitória que deu acesso a uma meia-final, Os adeptos estão cientes disso, mas se não ganharmos deixam de estar. O futebol é isto. Se conseguirmos a 17.ª vitória, ninguém vai festejar para os Aliados. O que se festeja são os títulos. Bom ano a todos.