Pinto da Costa sugere Fernando Gomes para Secretário de Estado do Desporto

Pinto da Costa sugere Fernando Gomes para Secretário de Estado do Desporto

Imagem: FPF

O presidente do FC Porto ontem na entrevista da TVI deixou a sua opinião sobre o Presidente da Liga, o Presidente da Federação e sobre Rui Moreira.

Fernando Gomes: “Conheço o Dr. Fernando Gomes desde a sua juventude. Eu andava nas várias secções do clube e ele foi campeão de basquetebol pelo FC Porto. A prova que lhe reconhecia grande mérito e capacidade é que foi a meu convite secretário-geral do FC Porto, do clube, quando entrou no dirigismo. Depois transitou para administrador da SAD. Portanto, acreditava nas suas capacidades senão não o convidava. Quando ele colocou a possibilidade de ir para a Liga, já lhe augurava um grande trabalho. Na FPF acho que tem feito um trabalho fantástico. Claro que dirigir uma FPF não tem os problemas financeiros da Liga, mas isso também acontece por mérito dele e da sua equipa. Ele tem duas grandes qualidades. Primeiro, trata os clubes todos da mesma maneira e quando preciso da sua colaboração, e é justo, está sempre disponível. E depois tem internacionalmente um prestígio pela sua personalidade e seriedade que conquistou o mundo do futebol. Só o Dr. Fernando Gomes, apesar de outros terem feito depois um espetáculo, é que conseguiria trazer a fase final da última Champions League para Portugal. Ele já faz parte da UEFA, mas sei que não quer outro papel internacional. Na FPF é indispensável, mas acho que daria um magnífico secretário de Estado do Desporto”.

Pedro Proença: “Acho que tem feito um bom trabalho”.

Rui Moreira possível presidente? “Pode, já tem idade e anos de sócios. Gostava que fosse alguém que sentisse, vivesse e trabalhasse para o FC Porto. É um dos que reúne essas características. Villas-Boas é treinador do Marselha não quero que venham interpretar. Falar dele agora, lançaria confusão. O FC Porto não é uma monarquia, mas se fosse tinha de preparar o meu filho. Mas não é. Quem manda são os sócios. Se os sócios escolherem um aventureiro, o problema é dos sócios. Isto não é meu, é dos sócios. São eles que me elegem. Nunca irei dar opinião ou apoiar. Quem vier tem de ser a escolha dos sócios, fazer o seu caminho. O pior que poderia fazer era interferir. Quero é que quem me suceda tenha a mesma paixão que eu, que governe pela sua cabeça, quero vir ao futebol, quero ser apenas adepto do FC Porto”.