NEGÓCIO DE RAMIRES ENVOLTO EM ILEGALIDADES

NEGÓCIO DE RAMIRES ENVOLTO EM ILEGALIDADES

Ramires, ex-jogador do Benfica, foi vendido ao Chelsea por 22 milhões de euros em agosto de 2010. Uns meses antes, o Benfica tinha vendido 50% do passe de Ramires à empresa Jazzy por 6 milhões de euros. Até aqui não há nada de errado porque todas estas informações foram comunicadas à CMVM. No entanto, o Benfica não contou a história toda.

A 22 de março de 2010, Graham Shear, advogado que represtenta a empresa Jazzy, envia o seguinte e-mail para Paulo Gonçalves, assessor jurídico do clube encarnado.

Graham Shear diz a Paulo Gonçalves que está à espera de um sumário sobre um assunto envolvendo Ramires e um acordo que tinham celebrado em 2009 relacionada com Luisão. Paulo Gonçalves não tardou em responder.

A tradução deste e-mail encontra-se abaixo num e-mail enviado por Domingos Soares de Oliveira a Paulo Gonçalves e Miguel Moreira.

O jogador A é Luisão. O jogador B é Franco Jara. O jogador C é Ramires. Ou seja, os encarnados estavam a tentar  arranjar uma forma de maquilhar o primeiro acordo feito por Luisão, quando estes receberam 4,5 milhões de euros, pois não tinham informado essa venda à CMVM. O Benfica estava a tentar fugir a uma multa e/ou investigação.

Graham Shear não pareceu convencido com o primeiro rascunho do acordo, tendo enviado o seguinte e-mail a Paulo Gonçalves.

Segundo Graham o Benfica recebeu 4,5 milhões de euros por 100% do passe de Luisão e pelo pedido de saída antecipada de Luisão. O clube encarnado tinha a opção de recompra de Luisão com as seguintes condições:

  • pagar 2 milhões à Jazzy;
  • ceder 50% dos direitos económicos de Ramires à Jazzy.

Depois de receber a resposta de Graham, Paulo Gonçalves reencaminhou o e-mail para Domingos Soares de Oliveira. Este último enviou um rascunho para a resposta a dar a Graham.

Domingos Soares de Oliveira explica a razão por que quiseram colocar Franco Jara no negócio. Segundo o administrador do Benfica, o facto de não terem mencionado qualquer acordo em junho de 2009 relativamente a Luisão foi uma grande violação dos regulamentos locais, o que levaria o Benfica a receber uma multa e uma provável investigação por parte d2as autoridades. O Benfica queria “inventar” um acordo com Franco Jara, com as mesmas condições do que as de Luisão e, dessa forma, não teriaa qualquer problema com a CMVM.

Cerca de duas semanas após esta troca de e-mails surgiram os documentos com os acordos entre a Jazzy e o Benfica.

Um resumo desses documentos foi enviado por Paulo Gonçalves a Domingos Soares de Oliveira a 13 de abril de 2010.

[Como o ponto 3 não cabia todo numa imagem citei-o abaixo]

3. Deed of Assignment relating to the Economic Rights of Ramires – Este acordo, a ser celebrado na mesma data do Option Deed (?), traduz os termos da cedência por parte do SLB à Jazzy de 50% dos direitos económicos do Ramires por € 6 Mio.

Este acordo suscita-me algumas reservas no que diz respeito às seguintes cláusulas:
Cláusulas 3.4, 5.7 e 7.4 – desconheço eventuais contingências fiscais no momento da partilha das receitas, mesmo tratando-se de uma sociedade inglesa; Cláusula 5.4 – o SLB tem que celebrar um seguro de acidentes pessoais e vida no valor de € 12 Mio cujo beneficiário deverá ser a Jazzy (provavelmente já temos um seguro mas não por este valor e seguramente sendo o SLB o beneficiário); Cláusula 5.9 – o SLB terá que assinar um pré contrato de transferência – que ficará em poder da Jazzy – que será usado se e quando a Jazzy, após 1 de Julho de 2010, vier a informar que pretende transferir o jogador e no caso do SLB não exercer o Right of First Refusal; Cláusula 5.10 – O SLB terá que assinar uma carta – que ficará em poder da Jazzy – dando autorização para que os fundos sejam transferidos directamente do Clube comprador para a Jazzy. Aqui dever-se-á clarificar que está em causa tão só 50% do Transfer Fee; Cláusula 7 – Parece-me confusa a redacção, procurando reger uma situação em tudo idêntica à prevista para o Right of First Refusal. E a cláusula 7.3 revela-se mesmo estranha ou contraditória.

Depois de receber este e-mail, Domingos Soares de Oliveira enviou os termos de acordo a um funcionário da consultora KPMG.

Domingos Soares de Oliveira refere novamente que a primeira parte do acordo não tem de ser divulgada à CMVM. Depois de mais algumas trocas de e-mails, com modificações do acordo, Paulo Gonçalves enviou o seguinte e-mail com as últimas modificações feitas aos documentos.

O Benfica acabou por assinar o Compromise Agreement e o Deed of Assigment que estão explicados num dos e-mails anteriores.

No início de junho trocaram os últimos e-mails com os acordos confirmados. Alguns dias depois surgiu na CMVM, assim como nas notícias a alienação do passe de Ramires.

(notícia completa)

Claro que não existe nenhuma noticia sobre os acordos que tinham sido feitos por Luisão, assim como a compensação feita à Jazzy de 3,5 milhões de euros. Aguarda-se uma investigação da CMVM pelo Benfica não ter referido em nenhum momento estas operações.

Pouco tempo depois, Ramires foi vendido ao Chelsea por 22 milhões de euros.

A faceta desta direção do Benfica revela-se também na altura do pagamento…

Depois de receber o dinheiro da venda de Ramires, o Benfica demorou a fazer o pagamento que era devido à Jazzy

15 de novembro de 2010

17 de Novembro de 2010

Graham Shear volta a enviar um e-mail a Paulo Gonçalves por não ter obtido nenhuma resposta sobre o pagamento a ser efetuado.

23 de novembro de 2010

Graham Shear começa a ficar impaciente por não obter nenhuma resposta.

Paulo Gonçalves reencaminhou o e-mail para Domingos Soares de Oliveira, recebendo uma resposta caricata.

Paulo Gonçalves tinha medo de perguntar a Luís Filipe Vieira, pois apesar de se encontrar no gabinete ao lado do presidente, enviou um e-mail a Domingos Soares de Oliveira sobre esse assunto.

Todo este assunto relacionado com Ramires demonstra novamente a faceta desta direção do Benfica. O clube encarnado não comunicou uma transferência avultada à CMVM, mascarou essa mesma transferência e, por fim, não cumpriu o que foi acordado para a transferência de Ramires. Por que razão o Benfica não comunicou a venda de Luisão? A CMVM tem de investigar este caso.