Feirense 1-2 FC Porto – Crónica

Feirense 1-2 FC Porto – Crónica

Valeu o resultado- vitória por 2-1- porque a exibição foi cinzenta e desinspirada. A entrada da equipa portista foi péssima. Nos primeiros 10 minutos só deu Feirense e aos 4 minutos a equipa de Santa Maria da Feira inaugurou o marcador através de 1 autogolo de Felipe. A partir daqui o Futebol Clube do Porto pegou no jogo e deu a volta ao resultado. Aos 18 minutos Danilo fez o empate na sequência de 1 canto apontado por Corona e Pepe fez o resultado final aos 35 minutos após 1 ressalto na grande área do Feirense. No último lance da 1ª parte Soares teve tudo para fazer o 3-1 mas permitiu a defesa do guarda-redes do Feirense. Na 2ª parte, a equipa azul e branca mostrou algum cansaço, continuou desinspirada e colocou-se a jeito. Não que o Feirense tivesse grandes oportunidades de golo, mas num ressalto, num lance fortuito ou num falhanço de 1 jogador azul e branco o último classificado da liga podia fazer o empate.

Sérgio Conceição começou com o onze inicial do jogo contra a Roma. Na minha opinião podia ter colocado Brahimi e Oliver de início, pois o jogo da última 4ª feira foi muito desgastante. Por outro lado, Sérgio Conceição demorou muito tempo a proceder às alterações que se impunham face ao fraco rendimento da equipa. A 1ª substituição teve lugar aos 70 minutos com a entrada de Brahimi para o lugar de Marega. Julgo que aos 60 minutos, deveriam ter entrado Brahimi e Oliver para os lugares de Marega e Otávio. Era notório o cansaço de alguns jogadores como Otávio, Corona e Marega. Por volta dos 80 minutos Sérgio Conceição colocou Oliver e Manafá nos lugares de Otávio e Corona.

Destaque para Danilo- marcou 1 golo e foi o seguro de vida do meio campo azul e branco-, Pepe- grande jogo!-, Corona e Marega, Brahimi e Manafá entraram muito bem.

Bom resultado, exibição tristonha e cinzenta. Foi 1 FC Porto de serviços mínimos. Faltou intensidade, velocidade e criatividade. E faltou, sobretudo, frescura física. Se o Feirense jogasse sempre assim, não estaria no último lugar e provavelmente estaria num lugar tranquilo da tabela classificativa.

Dever cumprido! Agora venha o Marítimo!

P.S: uma das torres de iluminação do Estádio Marcolino de Castro ficou sem electricidade em 2 momentos. Inadmissível! O futebol português ainda não entrou no século XXI.

Nuno Morujão