FC Porto 3-1 AS Roma – Crónica

FC Porto 3-1 AS Roma – Crónica

Noite de gala no Dragão! Noite de Champions no Dragão! A Champions é para quem pode e não para quem quer. O Futebol Clube do Porto venceu a Roma por 3-1 e apurou-se para os quartos de final da Champions. Um jogo que foi decidido no prolongamento e que permite ao clube azul e branco estar entre as 8 melhores equipas da Europa. Um jogo intenso, competitivo e jogado a 1 ritmo alto. Um Futebol Clube do Porto concentrado, solidário, competitivo e maduro eliminou com todo o mérito a Roma. Em relação ao jogo com o clube do regime, Sérgio Conceição colocou Militão, Danilo, Otávio e Soares nos lugares de Manafá, Oliver, Brahimi e Adrián Lopez. A equipa jogou num 4-4-2 com Soares e Marega na frente, Danilo e Herrera no meio, Otávio na direita e Corona na esquerda a fazer o lugar de Brahimi. Ou seja, o clube azul e branco jogou com 3 médios de raiz e isso faz toda a diferença. Foi 1 FC Porto autoritário mas paciente, Foi 1 FC Porto que procurou o golo desde o início do jogo mas com cabeça e paciência e não de forma desenfreada. E uma Roma defensiva que jogou com 3 centrais e que praticamente só fez 3 remates enquadrados com a baliza portista. O clube azul e branco entrou muito bem, criou várias oportunidades de golo e aos 26 minutos fez o 1-0 por intermédio de Soares. Recuperação de bola de Marega no meio campo da equipa italiana, passe para Corona, este devolve a Marega para o maliano assistir Soares para o primeiro golo. Mas a Roma praticamente sem saber ler nem escrever fez o empate na conversão de 1 penalty após 1 falta desnecessária cometida por Militão aos 37 minutos. Na 2ª parte o FC Porto voltou a entrar muito bem e aos 52 minutos marcou o 2º golo por Marega na sequência de 1 cruzamento fantástico de Corona. Até ao final do tempo regulamentar só deu Porto que podia- e merecia- ter resolvido a eliminatória nos 90 minutos. No prolongamento, o FC Porto continuou a criar oportunidades mas a Roma também teve 2 por Dzeko. E aos 117 minutos fez-se justiça: penalty claro sobre Fernando Andrade e Alex Telles não falhou. Muito bem o VAR a chamar a atenção do árbitro turco.

Um Porto vintage, determinado e corajoso. Um FC Porto com 1 coração enorme eliminou 1 das principais equipas do futebol italiano e está nos quartos de final da Champions.

Toda a equipa esteve bem. Marega foi enorme com 1 assistência 1 e golo. Soares fartou-se dar trabalho à defesa romana, Danilo foi o pêndulo do meio campo, Otávio foi magnífico, Corona espalhou magia pelo relvado e Herrera lutou imenso. E os centrais estiveram imperiais a defender, mas não estiveram tão bem a sair com a bola. Menos bem esteve Militão que cometeu 1 penalty desnecessário e teve algumas falhas. Não está num momento bom mas é 1 jogador com classe e vai ser muito útil no que resta da época. Já o público foi fabuloso e esteve com a equipa do princípio ao fim do jogo. O mar azul continua imparável!

Estamos nos quartos de final da Champions! Acima disto não há mais nada! Uma eliminatória de cada vez. Eu sei que é extremamente difícil- senão mesmo impossível- vencer a Champions mas deixem-me sonhar! Só os cobardes e os medíocres não sonham e desistem de lutar pelos seus objectivos e pelos seus sonhos.

O Futebol Clube do Porto não tem a melhor equipa do mundo, não tem os melhores jogadores do mundo mas tem 1 coração do tamanho do mundo. Estou tão feliz! A família azul e branca merecia este presente.

Agora venha o Feirense! Sim, porque há 1 liga para ganhar! E o FC Porto vai ganhar a liga portuguesa!

P.S: não vou perder muito tempo com Cuneyt Çakir. É o homem de mão da UEFA, Foi complacente com as muitas faltas da equipa italiana, perdoou diversos amarelos aos jogadores da Roma, permitiu perdas de tempo ao guarda-redes sueco e parecia que não queria acabar o prolongamento.

Nuno Morujão