FC Porto 2-0 Estoril :: Crónica

FC Porto 2-0 Estoril :: Crónica

Ganhamos o jogo marcando 2 golos e novamente não sofremos em casa. Contudo não foi um jogo de sentido único. Entramos fortes a pressionar e chegamos cedo ao golo através de Aboubakar. Após o golo e até ao golo de Maicon na segunda parte o Estoril chegou com facilidade à nossa baliza e podia ter empatado o jogo por diversas vezes. Como já tinha dito, não se pode pedir milagres quando se perde meia equipa titular. E é o que tem acontecido. A equipa ainda não assimilou as ideias do treinador, ainda não tem o entrosamento necessário e alguns dos reforços são de qualidade duvidosa. Se por um lado Danilo, André André, Maxi Pereira e Casillas estão a afirmar-se como verdadeiros reforços acrescentando qualidade. Cissokho e Osvaldo ainda não mostraram rigorosamente nada. Para os mais distraídos relembro que ficamos sem Danilo, Alex Sandro, Casemiro, Oliver, Quaresma e Jackson Martinez. 5 titulares indiscutíveis embora Quaresma tenha estado presente na maioria dos jogos da época passada.

Dedico mais um parágrafo à gestão desastrosa que foi a saída de Alex Sandro e entrada de Cissokho. Tal acto de gestão já se reflecte na equipa. Já todos sabemos de que Angel será sempre apenas um suplente e o próprio também já deve estar consciente disso mesmo. Martins Indi, que é um central, está actualmente à frente nas opções em relação ao espanhol. Continuamos sem saber a condição e o estado em que se encontra Cissokho. O lugar de defesa esquerdo é o mais fraco da equipa e prevejo que vamos sentir muitas dificuldades por aqui. Os adversários também já sabem disso mesmo. É pena, tínhamos um dos melhores defesas esquerdos da nossa história e agora jogamos com um central!

 

Casillas – Teve várias defesas difíceis demonstrando segurança e estabilidade.
Maxi Pereira – Um dos melhores jogadores da equipa. Força, garra, velocidade, defende e ataca bem. Nota 10.
Indi – Não se pode pedir muito a um defesa central que joga numa lateral. Defensivamente cumpriu, ofensivamente foi uma nulidade. É preocupante termos de jogar com um central adaptado a defesa esquerdo, e mais ainda de não termos mais nenhum além dos 3 que jogaram hoje.
Maicon – O esteio da defesa e o patrão da equipa. Maicon é o nosso melhor central e um dos jogadores mais influentes do plantel. Muito bom a construir jogo também, marcou o golo que nos deu tranqulidade. Felizmente que a direcção recuou na intenção de o vender.
Marcano – Jogou simples e cumpriu.
Danilo – Falhou vários passes mas foi importante na zona defensiva do meio campo. Nâo teve o devido acompanhamento dos seus colegas do miolo e o entrosamento com Imbula ainda não é o melhor.
Imbula – Talvez o jogo menos conseguido até agora.
Brahimi – O argelino é sem dúvida o nosso melhor jogador! E ficou hoje provado de que pode e deve ser o nosso número 10! Correu, organizou, fez passes curtos, longos, fintas e tentou chegar ao golo. Jogou 40 minutos como número 10 e os restantes minutos na ala esquerda. Fez uma assistência.
Tello – A par de Brahimi foi dos jogadores mais solicitados no ataque. Mostrou a sua velocidade como sempre e foi bastante influente.
Varela – Foi substituído ainda na primeira parte devido ao treinador perceber que precisávamos de mais consistência no meio campo. 40 minutos horríveis de Varela.
Aboubakar – Marcou um golo e depois disso desapareceu do jogo. Tem que melhorar.
André André – Assim que entrou a equipa estabilizou no meio não permitindo as transições rápidas que o nosso meio campo estava a permitir. Gostei bastante do jogo do André André.
Herrera – Substitui Imbula e o tempo que esteve em campo foi bastante melhor que o jogo passado contra o Marítimo.
Osvaldo – Teve novamente muitos minutos em campo, fez um remate à baliza e mais nada. Precisávamos de ter contratado um avançado de classe não duvidosa para substituir a vaga deixada em aberto por Jackson. Espero que melhore muito com o tempo.

[sociallocker id=120] Nota final para Duarte Gomes: dois erros nos minutos finais, ambos a prejudicar o FC Porto. Ficou por assinalar penálti por mão na bola de Mano e foi mal tirado um fora de jogo a Herrera num lance que acabou no fundo da baliza do Estoril. Sem influência no resultado.  [/sociallocker]

1